Cuidando da saúde da mulher

Tempo de leitura: 4 minutos

Está em nossa cidade atendendo a saúde da mulher o caminhão da mamografia do governo do estado que percorre diversas cidades e desta vez Alvarenga está sendo beneficiada com o atendimento que tende a atender as mulheres de nossa cidade na faixa de 40 a 69 anos fazendo a mamografia para diagnosticar possíveis doenças e se for o caso encaminhar para tratamento.

O caminhão está estacionado frente à Clínica de Fisioterapia, na Praça Prefeito José Carlos Martins. O atendimento será disponibilizado até o final da tarde de hoje, 24 de Novembro.

Na manhã de hoje, 24 de Novembro o Prefeito Municipal Diocélio Fernando esteve visitando a unidade móvel de saúde acompanhado do secretário municipal de saúde Geraldo Felício.

Nossa saúde é um bem precioso que precisa de atenção diária. Cuidados simples como uma boa alimentação, atividades físicas e visitas periódicas aos profissionais de saúde são fundamentais para manter-se saudável. Além disso, dois exames são de extrema importância para a saúde da mulher: a Mamografia e o Papanicolau, que detectam o câncer de mama e o câncer de colo de útero. Vale lembrar que o diagnóstico precoce é a maior chance de cura.

No Sistema Único de Saúde (SUS), a mulher é amparada por direitos que garantem assistência à saúde em todas as fases da vida, da infância ao climatério. Estas garantias foram conquistadas por meio de lutas sociais e devem ser relembradas sempre no dia 8 de Março, data que marca a jornada de reivindicações das mulheres por direitos e pela igualdade de gênero.

ESTATÍSTICAS

Em Minas Gerais, o câncer de mama é o de maior incidência em mulheres. Estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), órgão ligado ao SUS, apontam quem são esperados 5.160 novos casos da doença em Minas Gerais, uma taxa bruta de incidência de 48,19 para cada grupo de 100 mil mulheres mineiras.

A taxa de mortalidade feminina por câncer de mama em Minas, estimada pelo INCA em 2013, é de 11,37 óbitos para cada grupo de 100 mil mulheres.

Enquanto isso, o câncer de colo do útero é o terceiro de maior incidência entre as mulheres mineiras e as estimativas apontaram 1.030 novos casos esperados no estado em 2016, com uma taxa bruta de 9,63 casos para cada grupo de 100 mil mulheres.

A taxa de mortalidade por câncer de colo de útero em Minas, estimada pelo INCA em 2015, é de 3,53 óbitos para cada grupo de 100 mil mulheres.

Dados do Sistema de Informações Ambulatoriais do SUS (SIA) revelam que em 2015 foram realizadas mais de 393 mil mamografias de rastreamento na faixa etária de 50 a 69 anos nas unidades de saúde do SUS em Minas Gerais. De janeiro a junho deste ano, são 174.254 mamografias já realizadas. Em relação ao rastreamento do câncer de colo do útero, o SUS em Minas realizou 997.075 exames cito patológicos (ou Papanicolau) em mulheres na faixa de 25 a 64 anos, em 2015, e 454.276 exames de janeiro a junho de 2016.

O que é o câncer de mama?

O câncer é caracterizado pelo crescimento desordenado de células, determinando a formação de tumores malignos. O câncer de mama é o tipo que possui a maior incidência e a maior mortalidade na população feminina em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos. Para o Brasil, em 2016, são esperados 57.960 casos novos de câncer de mama, com um risco estimado de 56,20 casos a cada 100 mil mulheres. O diagnóstico precoce é essencial para se garantir a detecção da doença em seu estágio inicial, aumentando em mais de 90% o sucesso do tratamento. Dessa forma, a mamografia bienal para mulheres entre 50 e 69 anos é a estratégia recomendada pelo Ministério da Saúde para o rastreamento do câncer de mama.

Para as mulheres que estão fora dessa faixa etária é ofertada a mamografia diagnóstica, caso haja indicação da equipe de saúde, conforme suspeita clínica. Em caso de suspeita de câncer de mama, a mamografia diagnóstica é prioritária. Para as mulheres consideradas de risco elevado para câncer de mama – aquelas com história familiar da doença em parentes de primeiro grau – recomenda-se o acompanhamento clínico individualizado.

Quais são os sintomas do câncer de mama?

Em estágios iniciais, o câncer de mama pode não apresentar sintomas, mas é muito importante ficar atenta a certos sinais: inchaço, pele enrugada ou com depressões, pele descamativa ao redor do mamilo, secreção espontânea e alterações no mamilo.

Como se dá o tratamento do câncer de mama?

As formas de tratamento variam conforme o tipo e o estadiamento, ou seja, a avaliação do grau de disseminação do câncer. Os mais indicados são: quimioterapia (uso de medicamentos para matar as células malignas), radioterapia (radiação), hormonoterapia (medicação que bloqueia a ação dos hormônios femininos) e cirurgia que pode incluir a remoção do tumor ou mastectomia (retirada completa da mama). É importante lembrar que todo o tratamento é oferecido no Sistema Único de Saúde (SUS).